quinta-feira, 31 de julho de 2008

Abrigo - filme a não perder

Sugeriram-me um filme belíssimo que quase passa ao lado de quem está cansado de ver o mesmo tipo de filmes nas grelhas de programação.
Abrigo (Riparo) é o mais novo filme de um recente cineasta italiano, Marco Puccioni. Vários motivos há para que este filme não se perca no meio da programação mainstream: Tem sido premiado um pouco por todos os festivais por onde tem passado; Maria de Medeiros (já aqui se tinha falado da outra irmã Medeiros) abrilhanta qualquer filme em que participa; Antonia Liskova é belíssima; o filme aborda a homossexualidade e a problemática da imigração ilegal.


Sinopse roubada daqui: Anna (Maria de Medeiros) e Mara (Antonia Liskova) têm uma relação amorosa e vivem juntas. Anna é uma das proprietárias da fábrica onde Mara trabalha. No regresso de umas férias na Tunísia, descobrem que trouxeram um passageiro incógnito. É assim que Anis (Mounir Ouadi), o rapaz magrebino em busca de uma vida melhor no mundo ocidental, irrompe na vida das duas mulheres. Anis é acolhido por elas, em parte devido ao desejo secreto de Anna de ter um filho. Mas Mara não confia nele e a reprovação da mãe de Anna e o desprezo do pai de Mara, mesmo no leito da morte, vão destabilizar ainda mais a situação.

Os trailers





Condessa X

P.S. - Estive a pesquisar e, em Lisboa, apenas encontrei este filme no Corte Inglês, no horário das 20h. Uma das coisas que o Movimento Cidadania LX tem criticado é precisamente o abandono e consequente fecho de salas pequenas onde são exibidos filmes de cariz menos comercial. Venham os festivais de cinema, para ver se ao menos conservamos os dedos, já que os anéis estão mesmo com os $enhore$.

Nova enquete: Brinquedos sexuais (dildos)

Entende-se por brinquedos sexuais todos os acessórios usados para diversão sexual (e também sensual), seja sozinh@, ou acompahad@. Cock rings, bonec@s dos mais diversos materiais (e cada vez mais sofisticad@s), algemas, lingerie, chicotes, dildos... tudo encontrado nas mais diversas sex shop plantadas em cada esquina portuguesa. Quem tiver vergonha de ser vista a entrar numa sex shop pode sempre ver e comprar online.
Esta votação refere-se apenas a dildos. Algumas raparigas acham tenebrosa a perspectiva de experimentar brincar com um dildo, simplesmente porque lhes faz lembrar um pénis real (e é essa a ideia).

"Um dildo? Você está boa? Se é para usar um pénis, ando com um homem!"
Pois é darling, mas pense na vantagem de ser penetrada pela sua namorada e tê-la com as mãos livres.

Alexandra Lencastre tentou explicar a coisa:




Mas as bichas do demónio deram cabo da explicação:

´

x-pressiongirl

P.S. - Quem não participar na votação vai receber uma descarga eléctrica virtual!

Resultado enquete: Consomes pornografia lésbica?

Este assunto dá pano para bikinis. As lésbicas não consomem porque não existe pornografia lésbica ou não existe pornografia lésbica porque as lésbicas não consomem? É quase como perguntar se foi o ovo ou a galinha que nasceu primeiro. Nós temos a resposta: a franga-frango.
Na verdade, ao ver os resultados percebe-se que há um universo de votantes que admite consumir pornografia lésbica. Não sei bem o que é pornografia lésbica, mas se tiver qualidade é bem vinda.



x-pressiongirl

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Festa da praia, sábado dia 26 às 22h

O Centro d'Artes Kabuki promove amanhã uma animada festa de Praia. A festa começa às 22h e o dresscode é obrigatório.
Areia, água e palmeiras compõem o cenário tropical, sendo que os banhistas terão direito a usar a piscina ao som de boa música para essas cabeças.
Lê-se no apelo: "Traz o teu fato de banho ou bikini ou ainda vem defender o naturismo e neste caso terás bar aberto!" Já descobriram como é que vai a malta sembikini, não é?
Haverá um biombo para a troca de roupas, não se preocupem. A entrada terá um custo de €2 para quem vier de bikini, mas só haverá vantagens se se despirem... de preconceitos.
O Kabuki fica na Rua Newton, nº10-B. Para mais informações sobre a festa podem contactá-los através do número 21 099 41 42 ou visitar o site.
x-pressiongirl

terça-feira, 22 de julho de 2008

Apresentação do livro "Gostar de mim, gostar de ti"

Desta vez será na Fnac de Sta Catarina (Porto) na 5ªf, dia 24 às 18h. A apresentação deste livro escrito por três activistas da UMAR: Maria José Magalhães, Ana Paula Canotilho e Elisabete Brazil (presidente da UMAR) estará a cargo de Conceição Nogueira e Angelina Carvalho. O livro pretende educar para a prevenção da violência de género e pode ser solicitado através do e-mail umar.porto@gmail.com .


Lê-se no site da Umar:

Esta obra pretende ser um guia teórico, metodológico e programático para educadores/as, docentes, técnicas/os, assim como encarregadas/os de educação, que trabalham directamente com crianças, adolescentes e jovens para a prevenção da violência contra as mulheres no seio da família e/ou nas relações de intimidade.
Constitui uma ferramenta de trabalho com o referencial teórico, mas também com algumas ideias de como podemos trabalhar com as nossas crianças, adolescentes e jovens, a construção de uma sociedade que elimine progressivamente a violência, que aprenda a tratar os conflitos, a divergência, os interesses opostos, as contradições entre as pessoas de forma pacífica.

Outros livros de temática feminista podem ser encontrados aqui.

Condessa X

Nova revista LGBT - Com'Out

Parece que a Korpus vai deixar de ser a única revista LGBT em Portugal. Segundo o que o Meios e Publicidade publicou ontem, a revista Com'Out já está nas bancas e será uma revista de períodicidade mensal.
Tudo o que sei sobre ela encontrei nesse link, portanto se alguém estiver à altura de partilhar mais informações/opiniões, elas serão acolhidas com agrado.

Por falar em revistas, lembrei-me de uma nota avançada pelo Tangas Lésbicas sobre a mais popular revista lésbica de todos os tempos, a Diva, que pela comemoração da sua 150ª edição está a aceitar trabalhos de fotografia e inscrições para uma sessão fotográfica para a capa dessa 150ª edição.

As interessadas que sigam as informações dadas pela menina tangas e o link da revista.

Condessa X

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Artistas de todo o mundo, uni-vos!

Há muitos bons artistas em Portugal. Alguns cultivam a arte de saber escolher com quem dormir, outros educam-se e aprendem a ser auto-didactas, outros formam-se em escolas que na maior parte das vezes pouco mais têm para lhes oferecer que um diploma. Focar-me-ei neste terceiro grupo.
Ser artista num país que subestima a cultura de forma grosseira é obra, sobretudo, se tivermos em conta que os artistas tendem a ser mais facilmente reconhecidos não pela sua obra propriamente dita mas pelo sobrenome com o qual assinam os recibos verdes (pessoal do FERVE - Fartos d'Estes Recibos Verdes e outros movimentos de denúncia e acção como os Precários Inflexíveís têm chamado a atenção para isto), pelo corpo que ostentam ou pelos contactos que têm no pequeno mundinho das artes. É assim em todos os "submundos" da sociedade portuguesa, um pouco por todas as classes profissionais, a começar pelo "submundo escolar e académico".
A escola formata porque a sua função primeira é educar para a obediência, a subserviência, o não questionamento das normas ou hierarquias existentes (a parvoice das praxes é o exemplo mais flagrante, com a agravante de ser praticada entre pares - o M.A.T.A - Movimento Anti-Tradição Académica tem questionado isto de forma implacável). O processo de Bolonha não veio contribuir em nada para colmatar falhas deste âmbito, o individuo que se queira integrar deve acarretar as normas se quiser ser bem sucedido no sistema.
Os artistas são aqueles que têm voz e matéria para colocar (ainda que subtilmente) a arte ao serviço de causas. Mas os artistas, que grosso modo não podem trabalhar por carolice, precisam de financiamento. E como obtê-lo quando aquilo que a obra revela questiona de forma incomodativa os que atribuem subsídios e apoios? O que se entende por censura e de que formas subtís ela se manifesta?

Nosotros - na Cinemateca, dia 23, às 21:30 (conservem o bilhete porque depois do filme há festa no Cabaret Maxime, com música a cargo de Mister Lizard e DJ Nuno Lopes, também actor).

Nosotros é o título do mais recente filme produzido por alunos finalistas da Escola Superior de Teatro e Cinema e assinado pelo professor Luís Fonseca. É um melodrama multiplot em que três histórias nucleares se cruzam, fazendo jus ao tema "encontros/desencontros". Não se tratando de um filme LGBT, despertou-me particular atenção o facto de abordar o tema da bissexualidade. Formam o triângulo: uma rapariga, o namorado dela e um rapaz espanhol a quem ela aluga um quarto de sua casa. O espanhol e o namorado acabarão por se envolver sentimentalmente e isso virá a encerrar um ciclo na vida de todos eles.

A Dama, O Leão e o Unicórnio

A partir de "colagens" de textos de Jean Genet, Rui Neto aventurou-se num solo (o tema da solidão é o compasso) a que chamou de "esboço". Diria mais que um esboço, um delicioso delírio. Incorporando as várias personagens que o habitam, Rui Neto explora o queer e fá-lo de forma genial, perturbante e até incómoda. O público é constantemente provocado, sente nojo, sente pena, sente. A parte visível do trabalho, a realização plástica, a cargo de Sofia Ferreira é também de uma genialidade impressionante. A quem é que lembra um manto multi-usos ou um chapéu daqueles?
Esta imagem foi surripiada daqui.


Mais dinheiro houvesse e mais genialidade surgiria, mais cultura existisse e melhor reconhecidos seriam os seus agentes.
A reflexão é amiga da revolução. É por isso que a reflexão é silenciada e a revolução não será televisionada.

Não há revolução sem que haja uma revolução sexual. - relembra Gudrun em Raspberry Reich.
A propósito deixo aqui dois presentinhos:






x-pressiongirl

P.S. - Especial agradecimento a João Pinto, um dos responsáveis pelo guarda-roupa, por me ter concedido uma mini-entrevista e pela forma cortês como respondeu às minhas insistentes perguntas sobre o filme Nosotros.

sábado, 19 de julho de 2008

Nova enquete: Consomes pornografia lésbica?

Tenho andado nuns debates animados sobre pornografia vs erotismo e já percebi que este é um assunto que dá pano para... bikinis. Na verdade penso que pornografia e erotismo não são compartimentos estanques. Lembrei-me de ir ao youporn e ao pornotube (que são concorrentes) e pesquisar por vídeos lésbicos. Em ambos os sites há duas secções distintas: a gay e a straight. Em que secção estão os vídeos lésbicos? Acertaram! Na secção straight! Faz sentido? Infelizmente faz porque a generalidade dos vídeos que lá estão são produzidos para o público masculino straight, ou seja a decisão de colocá-lo nessa secção é centrada no consumidor e não no conteúdo do vídeo (que é gay). Há, no entanto, vídeos algo inovadores que pretendem agradar mais a lésbicas, digo isto porque a abordagem é totalmente diferente:
1. parece haver algum tipo de enredo sem sexo gratuito (o tal porno "justificado", que muitos entendem como erotismo);
2. as raparigas aparecem vestidas no início do filme (e não imediatamente nuas);
3. há mais realismo já que as raparigas não têm ar de prostitutas baratas (e que indícios nos permitem detectar, à priori, que aquela mulher é uma prostituta ou actriz paga para o filme e não uma autêntica lésbica, que também pode ser prostituta ou actriz?);
4. não se limitam a gemer e a lamber, elas dizem coisas uma à outra (seja "dirty talk" ou mais clean) e beijam-se mais.
Isto é, na cabeça de uma lésbica este tipo de vídeos apresenta-se como mais verosímil já que ele parece ser concebido fora da perspectiva do homem hetero que vive assombrado pela fantasia de se juntar a duas raparigas.
Um exemplo:
video
As revistas e vídeos manga e hentai parecem sofrer do mesmo já que as histórias lésbicas têm como finalidade primeira agradar ao público heterossexual masculino, contudo, atrevo-me a dizer que estão um passo à frente dos vídeos feitos com mulheres reais por um motivo: trabalham bonecos e não pessoas. Os desenhos fazem parte do mundo fantástico onde a inverosimilhança é permitida.
Começam a surgir umas coisinhas feitas na óptica da mulher. Soube deste filme "Barcelona Sex Project" através do blog "sexualidade feminina".
O tema é complexo e rosa-que-fuma (do projecto franga-frango, projecto recente do qual falarei num post mais decente) fez-me ver que etimologicamente a palavra porno significa prostituta. Mas as palavras ganham novos significados, atribuimo-lhes novos sentidos consoante os contextos em que as usamos. Antes dos linguístas, somos nós que nos apoderamos delas e actualmente pornografia tem, entre outros, o sentido de perverso. Este conhecido filme de Stanley Kubrik é sempre apresentado como erótico. Mas esta cena tem ou não tem porno?

video
Uma dica: se forem menores e quiserem assistir aos filmes podem mentir na idade que eles nunca terão forma de confirmá-la. ;-)

x-pressiongirl

Resultado enquete: Não gosto do sembikini

Eis os resultados da mais recente votação.


As opções eram: os textos são muito longos, textos são confusos, vocês não levam nada a sério, vocês são sérias de mais (decidam-se, meninas), vocês não têm graça nenhuma (eu SEI quem votou nisto!), vocês são um bocado parvas e vocês têm muita mania (eu tenho os vossos IP's). Às meninas que votaram na opção "Gosto de tudo" não lhes vai acontecer nada, mas às outras... vou rezar por elas... e sei que depois as coisas acontecem.



x-pressiongirl

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Da Lesboa para o Circuit Festival

Lembram-se da última Lesboa? Eu não me lembro porque a minha mãe pagou-me para ir a outra festa, portanto além de poupar €15 (segundo a maioria das pessoas com quem falei, que não apreciaram esta Lesboa) ainda ganhei roupinha decente. Merci maman (não, ela não lê este blog, não se preocupem).
Pois bem, talvez se lembrem que a organização "sorteou" 10 bilhetes VIP (acesso livre a todos os espaços e eventos - o bilhete VIP custaria a estas meninas cerca de €100) para o Circuit Festival. Já aqui se tinha falado deste evento. A organização do Girlie Circuit Festival diz no site que este será "un lugar donde disfrutar de siete días enteros de vida lésbica de alto nivel, al más puro estilo L- Word." Vejam bem, ao estilo do L Word!!!
Queria ver se alguma das premiadas me vendia o bilhete, mas a organização estraga os planos desta forma: "Só será entregue em Barcelona, quando for conferido o seu BI e a lista dos nomes das vencedoras". Como é que eu vou roubar o BI de alguma das premiadas? Por enquanto ainda só consegui descobrir uma das raparigas, muito simpática e gira (não, ela também não lê este blog), que com toda a gentileza me concedeu uma mini-entrevista para eu poder escrever estas coisas interessantes no sembikini.
Se foram à Lesboa saberão confirmar que à entrada era-vos perguntado se queriam participar no sorteio. "Sim, quero." Foi a resposta da maioria. Então alguém da organização vos deu uns papelinhos destes onde escreveram o vosso nome, e-mail e contacto telefónico (colar a fotografia era opcional).

Os nomes terão sido anunciados no site da Lesboa Party logo no dia seguinte, mas só cerca de um mês depois da festa é que contactaram as pessoas via e-mail (tadinhas, já nem se lembravam que tinham concorrido e esqueceram-se de ir ao site ver se o nome delas estaria por lá).
Agora vocês perguntam:

Onde estão os bilhetes das vencedoras?
Em Barcelona, obviamente. Acham que alguém se lembraria de enviar tal prémio por correio? Na verdade não são bilhetes mas sim pulseirinhas daquelas que os presos usam.

E continuam a perguntar:
Como é que elas fazem para levantar as pulseirinhas?
Primeiro têm de pesquisar os voos das low cost. Convém também pesquisar alojamento porque dormir na pista de dança não é confortável. O máximo que posso sugerir é uma visita às amigas de Barcelona que estão no gaydargirls e fazerem bons contactos para ganharem boas dormidas (ou não dormidas, se assim preferirem). Depois terão de contactar uma senhora da organização do Circuit Festival e rezar para que ela realmente lá esteja e confirme o nome das premiadas para entregar a tal pulseirinha de ouro, que isto é tudo na base da confiança.

Mas as vencedoras vão sozinhas?
Vou repetir as palavras de uma das organizadoras da Lesboa: "(...)é "pessoal e intransmissível", ou seja, só será entregue pela organização aos nomes que constam na lista de vencedores do concurso Lesboa Party/Girlie Circuit Festival.(...)Se pretenderem organizar um grupo para ir ao Girlie Circuit Festival, devem mencionar esse interesse e a v/ autorização expressa para a partilha dos v/ e-mails, até agora ocultos, entre as 10 vencedoras do concurso Lesboa Party/Girlie Circuit Festival."
Se quiserem pedir autógrafos às organizadoras da Lesboa, elas fazem saber que estarão por lá entre os dias 8 e 11 de Agosto.

A organização do Circuit Festival prevê fazer alguma pré-party no nosso país?
Ao contrário do que sucedeu com a pré-party da Loveball (outro evento muito semelhante a este e que - tcharan - é promovido pela mesma organização) que se realizou no Trumps, mesmo sem o DJ francês chegar a vir, o Circuit Festival não fará nenhuma pré-festa no nosso país.

Ah que pena, porquê?
Por dois motivos: O DJ LEOMEO não chegou a vir porque a data coincidiu com a greve que fez parar o mundo inteiro porque o mundo inteiro depende dos combustíveis e o avião em que ele viria não conseguiu voar sem aquilo que os americanos fartam-se de roubar ao Iraque e a outros tantos. Além disso, a organização do Circuit Festival ficou muito mal impressionada por o Trumps ter deixado de fazer as festas de espuma e como retaliação já não há pré-parties para os portugueses.

Parece-me que serão dias bem animados, vai haver debates, sessões de cinema, exposições, praia (um dos bares na praia dá desconto à party people do Circuit), descontos para quem quiser alugar bicicletas, uma festinha num Parque Aquático alugado para este evento e muito boa musiquinha para essas cabeças.
Destaco o movediço Offer Nissim, que vibra com os seus mixes de forma contagiante.



Have fun!

x-pressiongirl

quarta-feira, 16 de julho de 2008

sembikini no Congresso Feminista - prelúdio

Sei que já vou quase com 3 semanas de atraso, mas assim tenho a possibilidade de críticar quem escreveu antes de mim.
Decidi partir as (in)conclusões sobre o Congresso Feminista em 3 partes, por isso este post será apenas o prelúdio porque pela votação já percebi que escrever muito neste blog resulta mal. Os únicos posts longos que se atrevem a ler são os de Encontros Imediatos. Ganhem lá um bocadinho de vergonha, tá?
Foi muito difícil colocar lá as nossas agentes infiltradas mas felizmente não foi preciso ameaçar ninguém.
Não deu para engatar nas casas-de-banho, mas em todos os outros lados havia gente receptiva. Gostei de encontrar por lá algumas lésbicas que não sabia interessadas na causa feminista e algumas feministas que não sabia serem lésbicas. As outras 80% ainda não descobriram as vantagens do lesbo-feminismo, mas ainda vão a tempo. ;-)
Kai Mia Mera apresentou-me à nossa informante da velha guarda da UMAR que nos ía dizendo quem é quem nisto de feminismo porque nós ainda somos feministas bebés. A nossa informante teve de suportar as nossas perguntas de aprendizes e fê-lo de forma muito gentil, como fizeram, aliás, TODAS, as pessoas com as quais contactámos.
Foram 3 dias bastante animados, mas não foram só estes dias que foram bons, houve dias preliminares e o sembikini anunciou alguns desses eventos nos quais também participou. Conversas no Tanque, Ciclos de cinema no Porto e em Lisboa, exposições e teatro, apresentação do livro de Clara Queiroz, sobre Emma Goldmann e muitos outros eventos que não foram bikinados. Foram meses metralhados a feminismo porque durante anos as mulheres estiveram muito caladinhas.
Entre @s presentes, era bem vísivel a heterogeneidade do público: homens e mulheres, rapazes e raparigas, feministas de longa data, feministas aprendizes, gente de esquerda, gente de direita, gente apolítica, gente portuguesa, gente de muitas outras nacionalidades (sobretudo do Brasil).

Coisas boas:
1. O empenho da UMAR em ressuscitar este evento 80 anos depois do último Congresso;
2. O empenho d@s voluntári@s que, muitas vezes, abdicaram de participar nos debates para estarem a orientar os participantes;
3. A apresentação de um programa rico e ousado quer na generalidade dos debates e mesas quer nos eventos paralelos;
4. A imensidão de apoios e patrocínios de associações, centros de investigação, entre outros, que fizeram questão de se associar ao evento.

Coisas más:
1. A falta de noção do tempo por parte de alguns oradores que se excediam largamente nas suas exposições;
2. Realizar o Congresso numa 5ª e 6ª em horário laboral é má ideia se tivermos em conta que a maior parte das pessoas trabalha nesses dias;
3. A pasta não continha as comunicações dos oradores, apenas uma breve apresentação do tema a ser exposto, mas é uma forma inteligente de se vender as actas;
4. Ter muitos painéis interessantes a decorrer em simultâneo é mau porque o sembikini não pode andar a contratar agentes infiltradas assim. Alguém sabe quanto é que elas cobram à hora?

Condessa X

P.S. - A parte dos engates e da gente receptiva era brincadeira, está bem? ;-)

Casamento entre pessoas do mesmo sexo - Conferência hoje às 18h

Kai Mia Mera informou-me desta conferência que irá decorrer hoje às 18h, na Assembleia da República, no Auditório do Edifício Novo. É a Juventude Socialista que está a organizar esta "Conferência Internacional" (adoro estes títulos pomposos, sinto-me in num evento com esta combinação de letras).
Os oradores convidados são:
• Pedro Zerolo (Secretário Federal do PSOE com os pelouros dos Movimentos Sociais e ONG)
• Ana Catarina Mendes (Deputada e Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS)
• Miguel Vale de Almeida (Antropólogo)
• Isabel Moreira (Constitucionalista)
• Paulo Pamplona Corte-Real (ILGA – Portugal)

Como a conferência é aberta ao público, a x-pression já fez saber que vai dar cabo daquilo tudo porque diz que é contra o casamento (seja ele entre pessoas do mesmo sexo, entre heterossexuais ou entre múltiplos parceiros), mas vai ser barrada logo à entrada do evento que aquilo não é para desordeiros, é só para pessoas de bem.
Aproveitem para ir ao bar da Assembleia da República e vejam com os vossos olhos os preços que os nossos políticos pagam por um café e onde se fuma um cigarrinho. Fora de brincadeiras, há cerca de 3 anos um café na AR custava €0,25 (nem numa escola pública há preços destes). Ah, aproveito para avisar que se quiserem mesmo ir ao café da AR devem ter o cuidado de não ser apanhados por nenhum segurança porque aquilo está repleto de mini-câmeras e eles não gostam que o povo saiba como é que eles vivem lá dentro. ;-)

Condessa X

sexta-feira, 11 de julho de 2008

A bom Porto

Já arrumaram os vossos bikinis? Façam-se à estrada que amanhã a festa é no Porto. Começa às 15h na Praça da República e termina, quand vous voulez, no Teatro Sá da Bandeira.

Vai estar lá toda a gente, até o pessoal do grupo Poliamor e o pessoal da UMAR e nós gostamos mesmo quando as coisas vão a bom Porto. ;-)


x-pressiongirl

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Vozes daqueles que não chegarão ao céu

"Não, como nunca fez. As mulheres são diferentes dos homens, e é essa diversidade que os torna iguais (porque são ambos competetentes e capazes) no alcance de objectivos que, sendo os mesmos, são alcançados de forma distinta".
Celeste Cardona, antiga deputada do CDS-PP, ex-ministra da (in)Justiça e actual administradora da CGD, em resposta à questão colocada pelo JN, dias antes da realização do Congresso Feminista 2008. Não lhe faz sentido falar-se de feminismo nos dias de hoje nem nunca fez porque ela não é uma mulher como as outras nem nunca o foi. Pergunto-me como se pode ser justo sem se ser solidário com quem sofre as injustiças na pele. Pergunto-me como se pode ser ministro da Justiça quando se é indiferente a injustiças.
O opinion maker Miguel Sousa Tavares, que escreveu às "Suas Senhoras" partilha da mesma opinião de Cardona.
Também ele se move num mundo especial em que as mulheres só são (re)oprimidas porque querem e, segundo as suas letras no Expresso, porque não sabem escolher as companhias certas. Mas ele tem uma vantagem sobre Cardona: ele não precisou de escolher "companhias certas". É homem e isso basta-lhe. Cardona é mulher de, e isso também lhe parece bastar.
As cuscas das gajas têm feito jus ao nome e têm andado a cuscar tudo (até a falta de bikinis sobre o congresso aqui no sembikini - também temos de fazer jus ao nome) e encontraram pelo menos duas senhoras que lhe responderam à altura, Alice Brito e Sofia Neves.
Enquanto acabo de arrumar os bikinis sobre o Congresso, gostaria de partilhar a reflexão já aqui bikinada:

"Dizem que não são feministas? Então por que não vão para casa pedir as ordens do homem e recolher à sua insignificância? Sempre detestei mulheres que não gostam de outras mulheres, que não se sentem solidárias com as outras."

Elina Guimarães (1904-1987) activista feminista portuguesa


Condessa X

terça-feira, 8 de julho de 2008

Nova enquete: Não gosto do sembikini

Como não me ocorreu nada decente para perguntar coloco, desta vez, uma pergunta indecente.
Já percebemos que andam praí a falar mal dos nossos bikinis e queremos saber porquê. Vamos arriscar a pele e ouvir com atenção as vossas críticas.

x-pressiongirl

P.S. - Não há prémio para quem votar na última opção, mas é bom que fique claro que eu tenho acesso aos vossos IP's. ;-)

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Resultado Enquete: Teria como amiga...

As votantes estão de parabéns. Fartaram-se de votar (algumas votaram em quase todas, não foi?). Houve meninas que ninguém quis ter como amigas, mas isso não faz delas más pessoas. Não foram votadas porque não são personagens centrais e por isso não as conhecemos bem.
Admito que a Alice também é a minha preferida. A mais "descolada", sempre animada e pronta para levantar a moral de qualquer uma das outras.




x-pressiongirl

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Encontros Imediatos de 3º grau

Um brinde às meninas que conseguiram chegar ao 3º grau sem passar pelo 2º. A banca dá-te dinheiro extra e tens direito a lançar os dados outra vez:

1. Ir para casa dela?
Nunca sugira você mesma ir para a casa de uma pessoa. Não vai querer tornar-se rude, pois não? Se o convite partir dela e lhe agradar a ideia de conhecer um espaço novo, aceite-o sem hesitações.

2. Ir para a minha?
Conheces os cantos à casa, por isso estás em vantagem. No entanto há duas regras principais (há bem mais porque fazer as coisas com ética dá trabalho) que a anfitriã não pode descurar:
a) Uma casa arrumada e limpa é meio caminho andado para ela se sentir bem no teu espaço;
b) É cordial ofereceres uma bebida, se preferirem conversar mais um pouco a sós (quem é que quer conversar numa altura destas?) mas se a excitação for muita esquece a garrafeira e vai directamente para o quarto.

3. Ir para um hotel?
É a hipótese para quem está longe da sua cidade, partilha a casa com pais conservadores ou tem a casa num caos. Prepare a bolsa!

4. Não vamos para lado nenhum. Ficamos já aqui!
Vocês já ganharam o jogo. Divirtam-se!

As raparigas, regra geral, têm extrema dificuldade em se envolver por prazer. Acham que o prazer deve vir sempre atrelado a um suposto sentimento amoroso, por isso projectam amor a torto e a direito e a coisa normalmente dá para o torto. Há uma explicação para isto: somos mulheres e historicamente nunca fomos autorizadas a ter prazer.
Chegada a este ponto, é esperado que tenha deixado o lado emocional do lado de fora da porta. Só se põe na boca de uma lobinha má quando se quer ser engolida. Autorize-se a divertir-se sem cobrar nada nem a deixar que lho cobrem. Não espere mais do que simples prazer. São livres e não têm qualquer vínculo, estão juntas por um desejo comum. Satisfaçam-no!
Como ainda estão a descobrir-se o objectivo é mesmo desfrutarem dessa descoberta. Para que isto resulte bem é bom que se dispa... de complexos, obviamente.
Nada de ser romântica se não busca romantismo. Não há nada pior do que induzir uma pessoa em erro porque há equívocos que custa muito a desfazer. Seja aquilo que pretende: sensual, se busca sensualidade, louca se busca loucura...
Palavras proibidíssimas: amor, relações, futuro.
Carpe diem (ou carpe noctem) é tudo o que se deseja. Seja uma verdadeira argonauta das sensações. Não pense. Sinta a sua própria natureza e o seu próprio corpo a comunicar com outro.


Condessa, acha que eu posso ser carinhosa com ela?
Pode. Não pode é dar a entender coisas que não sente.

Ai ai, ela está a fazer demasiadas perguntas às quais não sei como responder...
Eu não lhe disse para manterem as vossas bocas ocupadas? Allez!

Já amanheceu. devo convidá-la para tomar um duche ou servir-lhe o pequeno-almoço?
Seria muito cordial se o fizesse. É o mínimo que pode fazer com uma pessoa que a divertiu a noite toda. Não seja fria com uma pessoa que a tratou bem, mas atenção, ser cordial não implica ser romântica, ok?

Condessa X, e agora? Sinto-me responsável por ela. Se calhar ela é um bocado carente.
Livre-se de chantagens emocionais e veja se cresce. A única responsabilidade que tem é não enganar ninguém.

Acho que me arrependi. Sinto-me culpada. Parece que o meu corpo foi usado...
E você não usou o dela consentidamente? Se não tem maturidade suficiente para ser uma lésbica decente não seja lésbica e desapareça deste blog imediatamente que você dá mau nome à classe!

Foi muito divertido. Acho que vou querer repetir.
Vai querer repetir a experiência ou vai querer repetir a noite com ela específicamente? Se quer voltar a estar com ela específicamente, sugira isso sensualmente, mas esteja mentalizada que nem sempre as pessoas podem querer as mesmas coisas no mesmo momento. Se assim for, não dramatize nem se faça de vítima. Aprenda a respeitar a vontade e o timming dos outros.

Sinto-me vazia por dentro.
Isso é porque empregou muito bem as energias que tinha. Coma qualquer coisa entretanto.

Acho que a amo.
Não seja ridícula. Ninguém ama uma pessoa de um momento para o outro. O amor constrói-se no dia-dia não surge de imediato. Além disso, eu não lhe tinha dito já para abandonar este blog imediatamente?

A noite foi estonteante e você é uma mulher que sabe divertir-se de forma responsável e sabe o que quer. Não imagina como isso é sensual.
Espero que tenha trazido os óculos de sol. Está um dia lindo, não está?Bom fim-de-semana!

Condessa X

P.S. - Se andas à nora com os graus recua 17 casas (isso mesmo 17!) e ficas 2 vezes sem jogar porque vais parar na casa partida e depois ficar a descansar na casa do after flirt.