sábado, 31 de maio de 2008

Gathering Party - 7 de Junho na Caixa Económica Operária

É já daqui a uma semana. Divulgo esta para as votantes das festas alternativas e para @s amantes de BDSM.
Esta será a 11ª edição e a coisa promete mesmo. Convidadas bem giras e música boa.


O bilhete custará €20 no local ou €17 se comprado antecipadamente (para fazê-lo basta enviarem um mail à organização do evento: gathering@thegatheringparty.org). O preço incluí duas bebidas.
Por se tratar de uma festa temática haverá uma selecção e como tal o dress code é fundamental: tudo o que seja latex, cabedal, vinil, uniformes, acessórios fetichistas (luvas, botas, saltos altos) e relacionados com a imagética BDSM (algemas, chicotes, etc), ou, traje completamente negro.
A música estará a cargo da DJ Lady Starlight e a animação fica por conta de Eden Wells, Les Aigre Doux e Shibari.
Mais informações aqui no site ou pelo email gathering@thegatheringparty.org .

x-pressiongirl

Enquete: resultados

Eis os resultados da última sondagem:



Relembro que nesta votação podiam escolher várias opções e a opção mais escolhida foi mesmo a discoteca "lésbica (?)" Maria Lisboa, tal como eu já esperava. Admito que não está na minha pink list. Às votantes: Admitam, vão lá mesmo para dançar? ;-)

x-pressiongirl

sexta-feira, 30 de maio de 2008

5 de Junho - Conversas sobre Poliamor na Crew Hassan

O grupo Poly-Portugal, em parceria com as Panteras Rosa, vai organizar esta 5ªf, dia 5 de Junho às 20:30h uma amena tertúlia sobre Poliamor, na Crew Hassan.


(Imagem descaradamente surripiada do Our Laundry List)

Nao interessa se tens uma relação, nenhuma ou muitas. Este encontro vai ser uma troca de ideias sobre: Poliamor, Não monogamia responsável, Relações não monogamicas, Relações múltiplas, Crítica à monogamia, Cultura galdéria, e muito mais ...
(lê-se no blog)

"Ah sei, aquela cena da poligamia"
Não. Poliamor e poligamia não são a mesma coisa.


"Ah, já sei. Posso pôr os palitos à minha namorada sem qualquer problema, não é isso?"
Também, não querida. Isso não é ser poliamorosa, é ser poli-cabra! "Pôr os palitos" significa enganar uma pessoa, precisamente aquela de quem supostamente mais gostas e não, não é disso que se trata. Você está mesmo a precisar de se informar melhor, experimente clicar aqui.
Menin@s do grupo Poly-Portugal deram-se ao trabalho de criar uma entrada na wikipédia.


"Eu sei que o artigo é curtinho, mas tenho mesmo de ler isso tudo?"
Lembremo-nos da máxima: Informação é poder!
Se quiser sentir-se mais poderosa/informada posso sugerir uma breve visita a este tira-dúvidas.
Se quiser divertir-se um bocado e reflectir sobre as imensas possibilidades de relações afectivas/sexuais sugiro este breve questionário.


Mais informações sobre o evento: antidote@imensis.net


Condessa X

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Inaugurado monumento em memória das vítimas LGBT perseguidas pelo regime Nazi

Vítimas "perseguidas" é um eufemismo, mas não sabia qual dos termos escolher: perseguidas, violentadas, torturadas, espancadas, humilhadas, mortas... Ai, tanta coisa. Assim "perseguidas" engloba um pouco de tudo, não é?
Foi ontem inaugurado, em Berlim, um memorial dedicado às vítimas LGBT perseguidas pelo regime Nazi, à semelhança do memorial dedicado aos judeus (creio que ambos os memoriais estão situados no mesmo local). Não sei dizer números porque acho que ninguém sabe ao certo. Sabe-se que foram aos montes, dezenas, centenas de milhar? Isso importa? Bastaria que tivesse sido uma pessoa, somente uma a ser morta, e já seria grave.


As estrelas eram reservadas aos judeus, o triângulo roxo aos jeovás (só aos jeovás?), o vermelho aos inimigos políticos, o triângulo rosa aos homens gays, o triângulo preto às prostitutas e às lésbicas (adivinha sou prostituta ou lésbica?). Feministas também usavam o triângulo preto, tal como alcoolatras, deficientes, grevistas, anarquistas... Já viram com quantos triâgulos pretos teria de andar uma pessoa que fosse simultaneamente acusada de vários destes crimes? É preto demais não é? Estava a brincar. Um só triângulo bastava, independentemente do número de "crimes" dos quais a pessoa fosse acusada.

O resto dos símbolos não sei descodificar mas acho que haveria muitos mais memoriais a inaugurar por lá. O actual presidente da câmara de Berlim é assumidamente gay. Será que isto tem relevância?
A não esquecer que actualmente ainda se morre, por este mundo fora, por estes mesmos motivos, seja institucionalmente, pela mão de governos severos, seja pela mão de pessoas que agem individualmente ou em grupo e que matam por ódio (chamemos-lhe homofobia se assim o desejarem).
Sobre os gays na alemanha Nazi ocorre-me sugerir dois filmes. Ambos passaram já no Festival de cinema LGBT de Lisboa (agora Queer Festival - só mesmo para relembrar que até 30 de Maio ainda podem enviar filmes para a organização do festival).
O premiadíssimo documentário Paragraph 175 (admito, este ainda está na lista dos filmes a ver antes de morrer).


E um outro, também com vários prémios, Aimée e Jaguar, baseado na história verídica de duas mulheres (Lilly e Félice) que viveram juntas neste conturbado período.



O filme é muito mas mesmo muito bom e o documentário também é imperdível.


Esta foto retrata as duas, ainda novinhas. Eu sei que não dá bem para ver muita coisa pois a imagem não tem grande qualidade, mas há que reparar que naquela altura os bikinis não eram como os nossos. :-)
Lilly consentiu participar no documentário sobre ela mesma (Love Story: Berlin 1942) em 1997 e relatou na primeira pessoa como viveram elas. É comovente e muito bonito. O filho dela dá o testemunho da sua visão sobre a relação das duas naquela época. Mais informação aqui.


Condessa X

terça-feira, 27 de maio de 2008

Bangguru + Telepathique - Nós gostamos!

Venho (com alguma tristeza) divulgar uma banda portuguesa que se ainda não conhecem vão ficar tristes quando souberem o que andaram a perder. Digo tristeza porque apesar de já se saber há algum tempo que a vocalista iria abandonar o grupo, só agora é que me apercebi que ainda não foi encontrada nenhuma menina à altura (e até se percebe porquê - não é assim tão fácil encontrar boa voz e beleza em tamanha quantidade). Se tens boa voz, és gira e gostarias de cantar com os bangguru, dá um passo em frente. Visita o espaço deles no myspace. Another 80's é o nome daquela que deve ser a música mais conhecida deles.



Storm in my head, from my bed, out of my window. Into my eyes from my mouth. And her lips are over my face, over my legs, over my arms, over my waist, over my thighs, holding me down. Like a new taste.
Ouviram bem onde andam "her lips"? Ok, eu não estou a sugerir que a música tenha pretensões de falar sobre as fantasias de uma rapariga por outra, mas tem sua piada, não tem?
Para quem gosta de Telepathique (presentinho especial para as visitantes brasucas, sobretudo, paulistas) aqui fica de presentinho "Eu gosto" cantado por Mylene (Telepathique) e Marisa Fortes (Bangguru) no aniversário deste grupo, no teatro Maria Matos.





x-pressiongirl

Filmes à letra - Norte continua em movimento

O GRIP (Grupo de Reflexão e Intervenção do Porto) promove, a partir de 6ªf, um ciclo de cinema dedicado a LGBT's (suponho que os visitantes do sembikini já saibam o que a sigla quer dizer, tomo-vos por pessoas informadas). Serão quatro fins de semana preenchidos com 8 filmes. Começa a 30 de Maio e decorrerá até 5 de Julho. Sempre às 22:30 (se conseguirem ser pontuais).

Há filmes giros e depois debate com experts de cada área (não, não me refiro a especialistas em cinema).

Para consultar a programação, ler as sinopses e ver os trailers é aqui.

Bons filmes!

Condessa X

domingo, 25 de maio de 2008

Alora Lola!

Shalom!
Seria um LUXO termos esta Diva por cá no nosso arraial. A organização que se lembre disso no próximo ano.



Lembram-se desta senhora? Dana (também conhecida por Dana Internacional)tornou-se internacionalmente famosa quando ganhou o Festival da Canção em 1998 com a música "Diva". Tornou-se na primeira transexual a ganhar o dito prémio. Mas os seus méritos vão bem mais além disso. Tem boas músicas e isso bastar-nos-ia para a termos em boa conta. Mas não, a senhora tem charme, tem vídeos belíssimos e anda sempre acompanhada de bailarin@s excepcionais. Vale a pena procurar outros vídeos dela e se souberem hebraico estão em vantagem e poderão aceder ao seu site aqui (estava a brincar, também dá para ler em Inglês). Em 2005, a música dela foi uma das 14 seleccionadas como "Melhores canções de sempre" do Festival da Canção.
Nascida em Israel, ela canta sobretudo em hebraico, mas também em Inglês. Canta, também, alguns hinos populares entre o povo de Israel e refaz algumas músicas de uma outra diva que infelizmente já não se encontra entre nós, Ofra Haza (era ainda uma bebé quando o hit "Im nin Alu" soava no Top+, mas já gostava de ver a senhora no videoclip).
Madonna (consta que vem cá ainda este ano promover o seu Hard Candy)ressuscitou recentemente esta música no seu álbum "Confessions" e deu-lhe o nome "Isaac". O tom da música é diferente, mas vejam lá se não reconhecem o sample. Vale a pena comparar.


Apesar de ainda não ser desta que teremos Dana por cá, vale a pena ir ao arraial (e à marcha também, deixem de ser totós).
Não sei se já divulgaram os nomes d@s artistas que irão actuar, mas por aqui também temos as nossas divas da noite.

x-pressiongirl

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Já marchavas

Parece que os cartazes alusivos à Marcha LGBT 2008 já estão prontos. Sabemos que vai ser dificl bater-se o recorde da marcha de São Paulo, mas nós gostamos de missões impossíveis.



As Panteras Rosa (uma das associações promotoras) disponibilizam no seu blog os flyers e o manifesto deste ano aqui.
E, como é bom descentralizarmos as coisas, o Porto organiza este ano, pela 3ª vez, a sua marcha no dia 12 de Julho. Ainda não há cartaz alusivo à 3ª marcha do Porto, por isso, os promotores estão a aceitar trabalhos vindos de gente criativa até dia 7 de Junho.
Não escrevi a palavra "Orgulho" e fi-lo de propósito. Ok, agora escrevi e vou explicar. Esta palavra faz tanta confusão (a mim também, admito) simplesmente porque é traduzida literalmente do Inglês "Pride". Creio que a semântica é diferente em cada uma das duas línguas. Orgulho em português tem uma carga um bocado negativa, pesada mesmo. É, aliás um dos 7 pecados, não é?
Pride, pelo contrário, soa-nos de forma mais positiva porque a carga semântica é diferente. Uma pessoa pode orgulhar-se de ser algo que construíu interiormente. É rídiculo orgulhar-se de aspectos como a sexualidade (uma orientação/preferência esporádica ou permanente) ou a raça (imposição genética). No entanto, a pessoa pode sentir-se orgulhosa por ter conseguido dar um passo importante. E é disso que se trata.



Este postal giríssimo veio directamente da criatividade de uma menina que ousou participar numa campanha promovida pela rede ex-aequo. Vale a pena dar um "lucky look" nos outros postais.
É importante mostrar às pessoas que não estão sozinhas, que não são as únicas no mundo. Não foi importante para vocês quando viram na televisão, pela primeira vez, uma marcha gay?
"Ah, não vou. Não gosto dessas coisas, parece-me exibicionismo demais. Acho que as pessoas podem ser o que quiserem mas não têm de andar aí a fazer marchas nem nada disso".
Para si, darling, que pensa assim, tenho uma recomendação: Volte para dentro do armário e não saia de lá nunca mais nem que lho implorem. Se não sabe o porquê de se fazer esta marcha, informe-se primeiro porque eu não vou colocar links, vou só dar pistas: Stonewall, 1969. Houve alturas em que ser-se homossexual (bissexual, transexual e tudo o que fossem sexualidades consideradas desviantes e fora da norma) dava direito a espancamento, cadeia, morte. Esta data vem marcar algumas conquistas que o ocidente concretizou aquando da revolta de Stonewall (já se informou, espero). Saberá que ainda hoje em muitos países (e até mesmo em Portugal - que não é só Lisboa) continuam a acontecer atrocidades deste género. Se não acontece à sua porta solidarize-se com aqueles que o sofrem na pele. Aliás, é bom relembrar que muitas vezes os problemas dos outros passam, mais dia menos dia, a ser, também, os nossos problemas. Hoje em dia está completamente démodé uma pessoa não se associar a causas. Não tenha vergonha e orgulhe-se de participar em tudo o que seja pela liberdade, igualdade e fraternidade.
"Ah, mas a minha familia pode detectar-me na televisão. Se calhar sou capaz de ir mas só ao arraial, à noite".
O quê? Você ainda está aí a levantar problemas? Que confusão que você me faz, miúda. A marcha não é uma marcha fúnebre. A marcha pode e deve ser encarada com optimismo. Há música para se dançar, pessoas para se conhecer. Se for filmada aja com naturalidade e seja cortês, não há nada mais desagradável do que ver lésbicas trombudas na televisão. Mostre-se descomplexada no seu melhor ângulo e a sua família orgulhar-se-á de ter uma menina aliada a causas (estamos a falar de direitos humanos, hein?).
Há uns 6 ou 7 anos houve um casal de velhotes que abordou o nosso grupo assim:
- Desculpem, isto é uma marcha de trabalhadores?
Risadinhas mal contidas e um súbito:
- Também somos trabalhadores, mas estamos aqui porque é a marcha gay.
- Gay?!? - o homem ficou a pensar naquela palavra mas a esposa esclareceu.
- Ah, sim. Como aquele nosso vizinho, sabes?
- Ah sim, claro.
- Podemos ir também?
Os velhotes desfilaram connosco e até tiveram direito a beber do espumante que tinhamos trazido do Algarve. Se até os velhotes desfilaram por solidariedade com o vizinho não desfilas tu porquê? Vá lá, ter medo de ir à marcha e aparecer no Arraial? Não seja mariquinhas que isso está completamente fora de moda, é out, darling, muito out!

Condessa X

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Dia do NOSSO corpo

Hoje é dia do corpo.


Se o Senhor foi generoso convosco e vos deu um. Usem-no!
Convém, no entanto, ter cuidado com o uso que lhe damos pois há coisas que não podemos fazer com ele. Ontem, graças à UMAR soube de mais uma: É crime recorrer-se à inseminação artificial caseira. O Big Brother gosta de observar tudo o que fazemos, se possivel, com quem dormimos, como dormimos, como é que fazemos bebés...



Sejamos um pouco mais optimistas... aqui em Portugal ainda não nos controlam o número de filhos por casal nem o sexo que o bebé deve ter, como fazem na China.
Mas não nos animemos assim tanto porque comparar as nossas desgraças com as dos outros pode levar à inacção. "Podia ser pior" se pensarem isto procurem pensar "Não pode ser pior porque nós não vamos deixar, pode vir a ser melhor".
A procriação medicamente assistida está vedada não só a casais homossexuais mas também a mulheres solteiras e viúvas que se sintam motivadas a criar uma criança. Traduzido por miúdos, só a presença de UM homem legitima a coisa (dois homens é demais, ok?). Li que até para laquear as minhas trompas preciso do consentimento do meu marido, se for casada. Felizmente não sou senão... teria de matar o meu marido?
Para quem pondera recorrer à inseminação artificial o Clube Safo (não sei se ainda sobrevive, parece que está em gestão) deixou-nos de herança um artigo muito interessante cuja leitura é obrigatória. Para quem não gosta muito de ler, aquilo tem desenhos mais fáceis de descodificar do que os da rosa-que-fuma. ;-)
Resumindo, se houver alguma complicação legal, abstenham-se de dizer que o fizeram de forma caseira se não quiserem ir para a prisão. Se calhar mais vale passarem por bêbedas e promíscuas e dizer "Ah, não sei quem é o pai, não sei mesmo".
Seja como for, qualquer das duas hipóteses é sempre humilhante para a mulher.
Mas o corpo, esse, é nosso.

x-pressiongirl

terça-feira, 20 de maio de 2008

Mais conversas no tanque - 21 Maio às 21:30h

A UMAR, no âmbito do Congresso Feminista 2008 (80 anos depois do último realizado em Portugal) está a promover o III debate. Já tinha falado disto aqui e aqui.


(esta foto foi gentilmente roubada do site do Chapitô - I conversas no Tanque)

O tema deste debate será "Direitos Humanos e Igualdades" e terá como oradoras Elisabete Brazil, Lucília José Justino, Luísa Corvo e Maria do Céu Cunha Rego. A moderação ficará a cargo de Maria Belo.
O debate será novamente acolhido no Chapitô e as oradoras estarão no "tanque" (aquilo é mesmo um tanque não há outra palavra).
Agenda à mão: o IV e último realizar-se-á no dia 18 de Junho e o tema será "Feminismos e Controvérsias".
Mais informações no site do Congresso Feminista e no site da UMAR.
Boas conversas!

Condessa X

domingo, 18 de maio de 2008

Quero dançar. Vou para onde?

Esta é a nova enquete do sem bikini.
Durante uma conversa em que estavamos a decidir onde íamos acabar a noite um deles disse "Temos de começar a descentralizar a coisa". Há muito tempo que nós andamos a descentralizar a coisa, tanto é que cada vez mais sítios que não são frequentados maioritariamente por LGBT são considerados gay friendly.
Podem votar em mais do que uma opção e a qualquer momento podem alterar o resultado (porque as pessoas são livres de mudar de opinião).

x-pressiongirl

Chilenas pregam partida

Achei, via queergirls, um vídeo muito giro, em tom de apanhados. É preciso ter ovários para se fazer o que estas maganas chilenas fizeram.
Convenhamos que se me pedissem para filmar uma coisa daquelas e me deixassem pendurada com a câmera na mão, eu também não saberia como agir, independentemente de se tratar de um casal hetero ou homossexual.

x-pressiongirl

Criatividade

Venho divulgar 3 iniciativas belíssimas para exprimirem a vossa criatividade e serem premiad@s por isso.

A organização do Queer Festival Lisboa (outrora conhecido por Festival de cinema Gay e Lésbico de Lisboa) está a aceitar inscrições para a submissão de filmes para o 12º Festival. Câmera, luzes... e muita acção. Deadline: 30 de Maio! Aproveito para informar @s mais distraíd@s (adoro a @ dá para tod@s, não é?) que devem anotar JÁ na agenda a data do festival que este ano decorre entre 19 e 27 de Setembro.
Atrevo-me a fazer um apelo para que poupem as pessoas de filmes dramáticos, pessoalmente estou um bocado saturada de olhos que só filmam o lado negro da vida e particularmente dos LGBT. Destaco um filme delicioso que vi no ano passado juntamente com umas amigas muito up. Este filme
é de uma lady muito british que esteve cá na night lisboeta a promover o seu filme, falo de Lisa Gornick, uma fixe que aborda a homossexualidade com um olhar pouco comum entre os cineastas LGBT. Ela tem outro filme muito bom, "Do I love you?" que já foi premiado em pelo menos 3 festivais. Ambos podem ser encontrados em DVD.

A rede ex-aequo está a aceitar propostas para a concepção do cartaz para o 6º Acampamento de jovens LGBTS até 31 de Maio. Espero que ainda tenham a agenda à mão porque vão ter de anotar a data do evento: 16 a 24 de Agosto.
Não guardem a agenda ainda porque há outra data importante a assinalar:

Esta data é só para as pessoas que ainda não conhecem o sem bikini e estão com preguiça ou têm pouco tempo para ir ver os posts antigos.
A organização do Congresso Feminista 2008 está a promover um concurso de vídeos sobre feminismo. Deadline: 31 e Maio. Estão também a aceitar inscrições para voluntariado neste evento. Já tinha falado disto aqui.

Condessa X

Enquete: resultados

Gostamos de vê-las por cá. Com o vosso fato de banho, com o vosso bikini, fazendo top less mas, preferencialmente, sem bikini. Nos dois últimos dias de votação estavamos a ver que haveria empate e depois ainda "ficavamos numa saia justa" (expressão brasileira equivalente ao nosso "engolir um melão"). Como ficaria visto este blog se ganhasse uma das outras opções? Gostamos de pessoas despidas... de complexos (obviamente). Eis os resultados:



Não pensem que alterámos os resultados (por acaso passou-me pela cabeça mas também não sabia como fazê-lo) só para o blog se sair bem mas, felizmente, não foi preciso subornar ninguém para que o resultado ficasse a nosso favor, bastou o Cromossoma XX votar também. ;-)
Ainda não tive grandes ideias para uma nova enquete. O sem bikini está, portanto, aberto a sugestões. A ideia é tornar isto um bocado mais disciplinado e tentar fazer uma nova enquete semanalmente (esta boca é directamente para a x-pression: mexa-se!).

Condessa X

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Antena3 convida

A antena3 está a oferecer convites para a 8ª LESBOA PARTY.


Fiquem atentas à emissão.

x-pressiongirl

As entranhas do feminismo

Vai contra as normas deste blog publicar imagens chocantes mas, desta vez, não podemos deixar em branco.



Este senhor acha que a violência doméstica não deveria ter o estatuto de crime público, segundo ele, porque "Este modelo inviabiliza a desistência do processo ainda que a vítima assim o pretenda". A preocupação primeira é, portanto, ajudar a vítima a desistir da queixa. Serão assim tantas as vítimas a desistir de uma queixa anteriormente formalizada? E se desistem, fazem-no por livre vontade ou por coacção? É que a coacção é, também, uma forma de violência só que mais subtil.
Este senhor vai mais longe e considera que "há um certo fundamentalismo na violência doméstica como crime público" e que existe um "feminismo entranhado" nas leis.
Realmente estas mulheres andam loucas, qualquer dia lembram-se de querer mandar nelas próprias e vão andar por aí a fazer queixas à toa, assim só para entupir os tribunais e dar trabalho a estes senhores. Até têm leis que as protegem, vejam só!
A notícia encontra-se aqui.
UMAR e APAV foram das primeiras associações a dar resposta à altura, mas também há optimas respostas aqui e aqui.
Partilho este vídeo de uma campanha lançada pela Fédération Nationale Solidarité Femmes em 2006.



As crianças, quase sempre, também vítimas, podem seguir dois caminhos: ou se aliam à figura oprimida, ou interiorizam a atitude do opressor. Se optarem pelo silêncio, não estarão a tomar uma posição neutra, pois que o silêncio é uma forma cobarde de se compactuar com a injustiça. É contra este silêncio que tod@s devemos lutar. Ao não se denunciar um crime que presenciamos ou do qual temos conhecimento estaremos a ser cúmplices.
A proposta do senhor Marinho vem no sentido de silenciar o crime conjugal e além de infantil é grave vinda da pessoa que vem.
Segundo os dados apresentados pelo Observatório das Mulheres Assassinadas, da UMAR, só neste ano de 2008 já morreram 17 mulheres vítimas de violência doméstica e já houve, pelo menos, 11 tentativas de homicídio!
Já dizia o amigo Pessoa que o feminismo é como a coca-cola, "Primeiro estranha-se, depois entranha-se".

Condessa X

P.S. - 707200077 é o número que deverão anotar caso sejam vítimas, suspeitem ou presenciem alguma situação de violência de qualquer tipo. A APAV disponibiliza no seu site endereços e contactos de Gabinetes de Apoio à Vítima espalhados um pouco por todo o país. Para consultá-lo é aqui.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Fantasias Eróticas - segredos das mulheres portuguesas

Não se assustem com o título. Ele é, propositadamente, provocador.



Faz amanhã um ano que este livro foi lançado. Trata-se de um importante documento concebido a partir de mais de uma centena de entrevistas a mulheres que se voluntariaram para participar neste projecto.
Isabel Freire, que durante cerca de um ano andou envolvida com as respostas ao questionário, conseguiu compilá-las em cerca de 300 páginas de um delicioso livro que espelha a forma como as mulheres portuguesas lidam com os mais diversos aspectos da sua sexualidade.
Isabel Freire tem um blog que actualiza regularmente com informações e reflexões sobre sexualidade feminina. A visita é obrigatória.
Apesar da recolha de testemunhos ter terminado a autora continua a disponibilizar o link para o questionário. São 60 perguntas às quais vale MESMO a pena responder.
O questionário tem o mérito de nos permitir uma viagem interior e desafiar-nos a reflectir sobre a nossa própria sexualidade. Sugiro que guardem as vossas respostas e daqui a 5 ou 10 anos voltem a ele.
O questionário encontra-se aqui.

Condessa X

Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia

A propósito da tentativa de criação de um Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia, várias associações (nacionais e internationais) têm estado a promover algumas iniciativas.
O dia proposto é 17 de Maio mas o PS (relembro os mais distraídos que este partido tem maioria parlamentar, portanto, basicamente pode decidir tudo sozinho sem ter de chegar a grandes consensos com os outros) tenciona, naturalmente, adiar a conversa para a próxima legislatura. (Quem votar neles leva um carolo!)
Para saberem o porquê da criação deste dia, clicar aqui. Se vos parecer bem, adicionem o vosso nome à petição que já conta com pelo menos 23322 assinaturas, aqui.
Em dezenas de países a homossexualidade (não só a homossexualidade, mas também a transexualidade e outras sexualidades que são tidas como incomuns ou desviantes)continua a ser penalizada das mais diversas formas, entre elas com a pena de morte. Há que diferenciar quando essas penalizações são instituidas formalmente por um governo ou quando elas ocorrem como crimes isolados, por parte de um ou mais cidadãos que matam por ódio. Em Portugal isto existe. Repare-se nos casos de crimes recentes. Gisberta e Luna ficaram tristemente conhecidas por terem sido assassinadas em alturas diferentes mas, possivelmente, pelos mesmos motivos (o caso Luna não ficou clarificado como o anterior) e é bom recordar que os "jovens", assassinos confessos de Gisberta não estão a ser tratados como criminosos, mas como jovens delinquentes.
Deixo o calendário de iniciativas a decorrer este ano, em Portugal:

14 Maio | Aveiro | 21h15 | Bar do Hotel Moliceiro
Tertúlia sobre Homofobia
Organização: Grupo de Aveiro da Amnistia Internacional
Entrada livre

16 Maio | Loures | 10h |Câmara Municipal de Loures
Conferência "Artigo 13º": intervenção de Paulo Côrte-Real (Associação ILGA Portugal) na Mesa 3 - (Des)igualdades de Oportunidades
Organização: Câmara Municipal de Loures
Entrada livre

16 Maio | Porto | 21h |Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto
Ciclo de Cinema Feminista: exibição do filme "Amor no Feminino" comentado por Luísa Corvo (Associação ILGA Portugal) e Miguel Vale de Almeida
Organização: UMAR

17 Maio | Fórum Lisboa | 16h
Debate "Mulheres que amam mulheres: Género, Orientação Sexual e discriminação"
(precedido de excertos do filme "Amor no Feminino")
Organização: Associação ILGA Portugal e Associação para o Planeamento da Família (APF)
Moderação: Fátima Palma (APF)
Intervenções:
- Luísa Corvo (Associação ILGA Portugal)
- Dinamene de Freitas
- Margarida Lima Rego
- Elza Pais (Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género)
Entrada livre


(Programa e imagem sorrateiramente gamados do site da Ilga-Portugal)

Outros eventos


- Canais TVCine: ciclo de cinema queer de 12 a 18 de Maio

- Ciclo de Cinema "Direitos Humanos" do Grupo de Aveiro da Amnistia Internacional:
exibição do filme Brokeback Mountain no Mercado Negro, 16 de Maio, às 22h (entrada livre).

- Campanha escolar de sensibilização sobre a discriminação em função da orientação sexual organizada por alun@s do 12ºAno na Escola Secundária de Monserrate em Viana do Castelo; 16 de Maio

Encontro - dia 17 de Maio de 2008 - 15h00 - Tema: Identidade Sexual. Dinamizado por Gabriela Moita e organizado pelo LES - Grupo de Discussão sobre Questões Lésbicas. Local: Rua do Paraíso, 250 - Porto (a estação de metro Faria de Guimarães fica muito perto do local do encontro).
Para mais informações sugiro uma visita ao site da Ilga-Portugal.

Condessa X

P.S. - Assinalo, com pena, o Alentejo e o Algarve estarem longe (em todos os sentidos) da maior parte das iniciativas LGBT que se têm anunciado um pouco por todo o país.

terça-feira, 13 de maio de 2008

Vampyros Lesbos

Descobri recentemente um filme que gostaria de partilhar.



Trata-se de "Vampyros Lesbos" um filme de Jesus Franco. O filme que data de 1971 é um dos primeiros deste senhor que ainda se encontra em actividade cinematográfica.
A personagem central é Linda (Ewa Strömberg), uma advogada que vai ajudar a condessa Nadine Carody (Soledad Miranda, também conhecida pelo nome artístico Susann Korday) a resolver umas questões relativas a uma herança.
A condessa Nadine é uma vampira. Mas não é uma vampira qualquer, ela é boazinha (talvez a Condessa X nos saiba x-plicar o porquê d@s vampir@s serem sempre condes e condessas). A actriz que desempenhou o papel de condessa (ela era espanhola, nascida em Sevilha) faleceu pouco tempo depois da rodagem do filme, em 1970, num acidente de carro numa auto-estrada lisboeta (os país eram portugueses e o seu marido também).
Não creio que este filme tenha passado alguma vez em Portugal, mas penso que sei onde ir buscá-lo. Se alguma alma caridosa encontrá-lo antes, que tenha a bondade de partilhá-lo.
Se gostaram do excerto e da música poderão obter mais informações, ouvir outras músicas deliciosas e, eventualmente, encomendar o cd por $6,14 aqui.
Vejam se detectam a musiquinha que Quentin Tarantino usou num dos seus filmes - a primeira a acertar ganha uma dentada no pescoço, vinda directamente dos dentes da condessa X. :-[

x-pressiongirl

domingo, 11 de maio de 2008

Good evening dancers, ravers and party people

O título é uma alusão a uma musiquinha muito old school chamada "Latin thing", um clássico daqueles.
As latinas espanholas andam a abusar da sorte. Ontem (dia 10) foi dia de animação em Madrid (e nós aqui, tontas - ainda por cima ontem conheci uma espanhola que não sabia da festinha... não suporto lésbicas distraídas). Nosotrassomostodas é o nome deste festival lésbico Internacional. Se alguma amiga caridosa teve a sorte de estar nesta festinha de ontem, que nos traga novidades.
Soube deste festival no ano passado através de uma amiga espanhola que andou a enviar mensagens para as amigas portuguesas do gaydargirls. Dizia ela, no convite, que a presença das portuguesas era fundamental para abrilhantar a festa. Não fui e quando vi o estrondo que a festa foi fiquei capaz de me suicidar. Este ano distraí-me e deixei escapar esta (como eu detesto lésbicas distraídas).
Vejam o vídeo da edição de 2007.

Gente gira, house naquelas cabeças e amigas bem dispostas por todo o lado (as lésbicas portuguesas deviam ser um bocadinho menos trombudas e sorrir mais nas discotecas ;-P - esta boca foi para a saloia que teve a ousadia de não me retribuir o sorriso na festinha de ontem).
Para que não nos percamos no roteiro espanhol deixo aqui a divulgação de duas outras festinhas, ambas em Barcelona.
A coisa promete mesmo, portanto sugiro que comprem um amiguinho destes

e comecem a colocar lá uns dinheirinhos (atenção, normalmente estes porquinhos vêm vazios por dentro, vocês é que devem colocar lá as moedas).
Se formos muitos ainda fretamos um autocarro ou um avião para a gayada portuguesa toda.

Um dos eventos é o Loveball - European gay and lesbian festival (vai haver uma pré-party aqui em Lisboa tal como noutras capitais mas o festival, em si, irá decorrer entre 1 e 7 de Agosto) ver o video promocional de 2007 aqui.
O outro, logo de seguida, é o Circuit Festival (entre 4 e 11 de Agosto - mesmo a tempo de voltarem a portugal e se sobrar dinheiro ir ainda ao Boom festival).

Inscrevam-se nas mailing lists para estarem a par das últimas notícias.
Hoje está um tempo assim manhoso, vou seguir o conselho x-press e arrumar a casa para receber visitas. Continuação de bom fim-de-semana!
Adios amig@s,

Condessa X

sábado, 10 de maio de 2008

Como tornar um encontro entre amigas num evento animado?

Se ainda não sairam do Ourchart permitam-me sugerir que dêem um passeio pela Baixa e vejam mais amigas ao vivo do que no ecran (ok, podem deixar a "armadilha" ligada e ler as novas mensagens quando chegarem a casa). Aquilo está cheio de amigas. Por todo o lado casalinhos de aprendizes. É comovente pensar que na capital de um país europeu como Lisboa as coisas começam a ficar animadas. Estão aí, assumidas, descomplexadas, apaixonadas, a ouvir os passarinhos (ok, aqui há mais pombos que passarinhos) e a passear de mão dada. Ou então, se não te apetece mesmo sair de casa podes sempre convidar umas amigas para um lanche. É que se ainda não descobriste a pessoa certa (às vezes há mais do que uma e pode ser divertido se não se enganar ninguém), diverte-te com as "erradas". Às vezes até se pode descobrir que uma pessoa "errada" é afinal uma pessoa certa.
Ok, não te apetece mesmo sair de casa, não é?
"Ai, não tenho nada de jeito para oferecer às pessoas, o frigorífico está praticamente vazio e preciso de ir às compras".
Mas, darling, isso não é desculpa! Mesmo que não tenhas nada no frigorífico nem na dispensa e nenhuma das tuas amigas se lembre da delicadeza de levar qualquer coisa para passarem a tarde... há sempre alternativas e estas amigas mostram como:


É obvio que para isto resultar tens de saber contar segredos.

x-pressiongirl

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Cartas a uma ditadura - filme de Inês de Medeiros estreia hoje

Estreia hoje (no circuito comercial porque o documentário data de 2006 e já correu alguns festivais), no cinema Londres, o documentário de Inês de Medeiros (as irmãs Medeiros não são fabulosas?) "Cartas a uma ditadura".



Um alfarrabista encontrou casualmente numerosas cartas escritas por mulheres que manifestavam (umas de forma mais calorosa e consciente do que outras) o seu apoio ao regime. Veio depois a descobrir-se que as cartas terão sido escritas na sequência de uma campanha que pretendia enaltecer Salazar numa altura em que o regime se via em dificuldades perante o crescente apoio popular ao general Humberto Delgado.

Estas cartas são, portanto, resultado de uma campanha inciada por um movimento de apoio à ditadura (até hoje ainda não foi encontrado o documento que apelava a esta mobilização) que terá incentivado a população feminina a exprimir-se favoravelmente.

Inês de Medeiros consegue reunir neste documentário algumas das pessoas que as escreveram e que, sem medo de dar a cara, testemunham, na primeira pessoa, sobre o que as levou a escrever.

Tendo corrido já alguns festivais e mostras de cinema (tanto em Portugal como fora) este filme foi distinguido no DocLisboa 2006. Em 2007 recebeu o prémio do público na categoria de melhor média-metragem na 31ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Como não poderia deixar de ser, o filme será exibido (pelo menos por agora) numa sala da capital. Esperemos que a receptividade no circuito comercial seja tão boa como tem sido nos festivais, é que o país não é só Lisboa.

Actualmente em exibição no

Cinema Londres (Castello Lopes) às 14h, 16h, 18h, 20h, 22h

x-pressiongirl

Norte em movimento

O GRIP (Grupo de Reflexão e Intervenção do Porto) faz 3 anos. Assinala a data na companhia do grupo de meninas "Elas a Norte" (já aqui falei delas) promovendo uma caminhada em Salreu, no dia 18 de Maio.
Tenham paciência. Outra caminhada? Assim as pessoas ficam desnorteadas!
Podem consultar aqui a descrição do programa. Como as inscrições terminam dia 15 de Maio, sugiro aos interessados que se apressem a enviar um e-mail para grip.ilga@gmail.com.

De 12 a 18 Maio (sempre às 21h) decorre, também no Porto, um evento inserido nas comemorações do Congresso Feminista 2008.

Este é a UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta) que organiza. A temática dos debates e filmes a decorrer será "a mulher", claro está. As inscrições serão aceites até ao dia 10 de Maio para os contactos que surgem no cartaz acima. Mais informações sobre este evento e sobre o congresso feminista aqui.
Relembro que a organização está a aceitar videos alusivos ao feminismo sob o mote "O que é o feminismo?" até ao dia 31 de Maio.
Relembro também que a organização está a aceitar inscrições para voluntariado no Congresso Feminista 2008 (80 anos depois do último realizado em Portugal), em Lisboa. Inscrições aqui.

No dia 17 de Maio outro evento, desta vez promovido pelo LES, (grupo de discussão de questões lésbicas) vai agitar a agenda nortenha. É um encontro sobre Identidade Sexual e terá como oradora Gabriela Moita (com um extenso curriculum na área da sexualidade). Mais informações e inscrições aqui.

É bom saber que o Norte anda em movimento.

Condessa X

Elas a Norte - encontro primaveril no dia 10 de Maio

Há um grupo informal de raparigas (do Norte, daí o nome) que tem vindo a organizar-se no sentido de dinamizar a cena lésbica no norte do país. Organizam e participam em eventos direcionados a um público LGBT.

Com o quase desaparecimento do Clube Safo (único grupo formalmente dirigido a lésbicas) parece-me muito enriquecedor que se organizem mais grupos que fomentem o encontro e a troca de ideias entre lésbicas/bissexuais, sobretudo em determinadas áreas geográficas em que os LGBT's se sentem ainda como sendo os únicos no mundo.

Este encontro irá decorrer no Parque de Avioso (S. Pedro), na Maia. Entre outras actividades-surpresa propoem um Peddy Paper.

O encontro será às 14h00, frente à estação do metro da Trindade, mas as que não chegarem a tempo podem correr até ao Fórum da Maia e encontrar as amigas às 14:30. Para as que têm carro e preferem ir directamente para o Parque de Avioso, é sugerido um link aqui.

O dia não termina com o passeio, pois elas prometem ir para a farra nessa noite.

Para mais informações sugiro uma visita ao fórum Pussy Cat Blue (a música é um bocado irritante, ya concordo) e ao blog Tangas lésbicas.

Inscrições, informações em tempo real, tentativa de encontrar boleia ou alojamento, podem contactar por e-mail duas das meninas que, suponho, estão na organização do evento:

Walky_lady@hotmail.com

loveboat@live.com.pt

Condessa X

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Ourchart

Soube recentemente de um novo sítio que pretende rivalizar com o gaydargirls. Dá pelo nome de Ourchart (alusão ao site da personagem Alice da série L word). Aquilo tem muitas coisas, muitos botões, e fazem imensas perguntas (ridículas ainda por cima - do estilo: "Que música tens vergonha de admitir que gostas de ouvir?"). É um site pesado, talvez por estar carregado de publicidade "Venha viver na América!", "Registe-se aqui" e "Vem estudar na terra do tio Sam".

Visitei o perfil da senhora que escreve a série (corrijam-me se estiver enganada, mas acho que também produz e dirige - nos tempos que correm é uma mais-valia sermos pau para toda a obra) e fui ver o Ourchart dela. :-) Como é público, vou publicá-lo:



Se alguém se atrever a acusar-me de ser cusca, digo, já de avanço, que antes de ser seja o que for sou um ser humano, e sou rapariga. As raparigas têm fama de ser cuscas, não é? Então já que temos fama, ao menos que tenhamos, também, o proveito. Voilà!

Parece que a senhora dormiu com 14 pessoas. Quase que perdi a vontade de ser lésbica quando vi aquelas figuras. Vou explicar o procedimento para se ficar conectado a alguém através do Ourchart:

Envia-se uma proposta à outra pessoa e aí ela é livre de aceitar ou não o link. Se aceitar, ficam no Ourchart uma da outra se não, ficam na mesma. Duvido que alguem tenha o Ourchart devidamente completo, até porque basta pensarmos: quantas lésbicas estão-se perfeitamente nas tintas para Ourcharts, gaydars e afins?

Fica a referência para quem quiser brincar aos Ourchats. A nossa amiga Alice ensina como funciona este "social network":


Aqui podemos ver o video promocional em que algumas das actrizes falam das maravilhas do Ourchart (claro, elas são pagas para isso) e dizem até que vão lá colocar os seus perfís. (Pronto, a esta hora já ninguém me deve estar a ler, foram todas procurar o perfil da Shane - o que é que vocês vêem nesta personagem?)

Ainda não há muitas amigas portuguesas registadas e quem conhece o gaydargirls facilmente saberá identificar alguns perfis que aparecem "duplicados" no ourchart. Coisas de mini-país...

x-pressiongirl

domingo, 4 de maio de 2008

Sexo (in)seguro entre raparigas

Falei ontem com duas amigas que ainda não tinham tido contacto com esta publicação que a Ilga-portugal divulga (e não é uma publicação recente, dado que a 1ª edição terá saído em 2001).

Ou as amigas andam distraídas ou a campanha não tem conseguido abranger, de forma eficaz, o público alvo.

As Panteras Rosa também fizeram um pequeno guia que disponibilizam online no site deles. Podem consultá-lo aqui.
Gostaria de relembrar que as Panteras queriam distribuir uns kits de sexo seguro entre lésbicas durante um dos eventos Lesboa, contudo, a organização declinou a proposta. Para as que estiverem interesadas nos kits, penso que ainda terão a possibilidade de solicitá-los através do contacto das panteras: panteras.lisboa@gmail.com.

Relativamente à brochura da Ilga, trata-se de um documento interessante que descreve, de forma sintética, algumas DST's, descreve algumas práticas sexuais e os potenciais riscos inerentes a cada uma delas e, por fim, alguns ?factos? e sugestões.
Entre os factos apresentados sugere-se que as lésbicas são mais propensas a fumar, a beber bebidas alcoólicas e a ter disturbios alimentares. Só falta dizer que também são mais propensas a consumir drogas.

Tenho sérias dúvidas sobre a quantidade de lésbicas que afirmam praticar sexo seguro, mas não custa nada ler o panfleto e responder ao questionário da Ilga aqui.
De entre as bêbedas, fumadoras, drogadas e com disturbios alimentares destaco duas das mais famosas potenciais lésbicas.


Condessa X

sábado, 3 de maio de 2008

Cromossoma XX + Indie festival

Cá está o X que faltava.

Consegui ir hoje a mais uma sessão de Indie e julgo que terá sido a última porque isto de €3,5 por cada sessão ainda é caro, não é? Durante um festival é suposto vermos muitos filmes e somados aqueles que nos interessam podemos ter $urpre$a$. Por este motivo é bom vermos curtas-metragens, dá-nos sempre a sensação de termos feito um bom investimento porque de entre 5 ou 6 filmes algum há de nos agradar.

De entre o lote de curtas apresentadas apenas conhecia um filme e o que me despertava mais curiosidade era "Candidíase" que era apresentado no fórum da rede ex-aequo (que gentilmente disponibilizou uma lista de filmes considerados de temática LGBT) e no próprio jornal do Indie como um filme "Sobre duas mulheres jovens fala-nos CANDIDÍASE, uma parábola onde Cândida e Serena nos mostram o que cada uma delas espera da relação de ambas".

É um bom filme, mas ele é mais experimental do que propriamente LGBT. Mais visual do que narrativo (os "diálogos" são mais monólogos). NÃO mostrou o que cada uma delas esperava da relação de ambas. Só não pedi o dinheiro de volta porque gostei muito de outros dois que estavam no mesmo bloco. Vantagens de se ir ver as curtas... ;-)

Aproveitem o resto do festival que ainda há bons filmes até Domingo.

E sim, nos festivais bate-se sempre palmas no fim de cada filme.

Contem, alguém mais viu este filme?


x-pressiongirl