sábado, 19 de julho de 2008

Nova enquete: Consomes pornografia lésbica?

Tenho andado nuns debates animados sobre pornografia vs erotismo e já percebi que este é um assunto que dá pano para... bikinis. Na verdade penso que pornografia e erotismo não são compartimentos estanques. Lembrei-me de ir ao youporn e ao pornotube (que são concorrentes) e pesquisar por vídeos lésbicos. Em ambos os sites há duas secções distintas: a gay e a straight. Em que secção estão os vídeos lésbicos? Acertaram! Na secção straight! Faz sentido? Infelizmente faz porque a generalidade dos vídeos que lá estão são produzidos para o público masculino straight, ou seja a decisão de colocá-lo nessa secção é centrada no consumidor e não no conteúdo do vídeo (que é gay). Há, no entanto, vídeos algo inovadores que pretendem agradar mais a lésbicas, digo isto porque a abordagem é totalmente diferente:
1. parece haver algum tipo de enredo sem sexo gratuito (o tal porno "justificado", que muitos entendem como erotismo);
2. as raparigas aparecem vestidas no início do filme (e não imediatamente nuas);
3. há mais realismo já que as raparigas não têm ar de prostitutas baratas (e que indícios nos permitem detectar, à priori, que aquela mulher é uma prostituta ou actriz paga para o filme e não uma autêntica lésbica, que também pode ser prostituta ou actriz?);
4. não se limitam a gemer e a lamber, elas dizem coisas uma à outra (seja "dirty talk" ou mais clean) e beijam-se mais.
Isto é, na cabeça de uma lésbica este tipo de vídeos apresenta-se como mais verosímil já que ele parece ser concebido fora da perspectiva do homem hetero que vive assombrado pela fantasia de se juntar a duas raparigas.
Um exemplo:

As revistas e vídeos manga e hentai parecem sofrer do mesmo já que as histórias lésbicas têm como finalidade primeira agradar ao público heterossexual masculino, contudo, atrevo-me a dizer que estão um passo à frente dos vídeos feitos com mulheres reais por um motivo: trabalham bonecos e não pessoas. Os desenhos fazem parte do mundo fantástico onde a inverosimilhança é permitida.
Começam a surgir umas coisinhas feitas na óptica da mulher. Soube deste filme "Barcelona Sex Project" através do blog "sexualidade feminina".
O tema é complexo e rosa-que-fuma (do projecto franga-frango, projecto recente do qual falarei num post mais decente) fez-me ver que etimologicamente a palavra porno significa prostituta. Mas as palavras ganham novos significados, atribuimo-lhes novos sentidos consoante os contextos em que as usamos. Antes dos linguístas, somos nós que nos apoderamos delas e actualmente pornografia tem, entre outros, o sentido de perverso. Este conhecido filme de Stanley Kubrik é sempre apresentado como erótico. Mas esta cena tem ou não tem porno?


Uma dica: se forem menores e quiserem assistir aos filmes podem mentir na idade que eles nunca terão forma de confirmá-la. ;-)

x-pressiongirl

2 comentários:

James Love disse...

É verdade meu amor, a porno lésbica é realmente e ainda uma decepção na maioria dos casos...

x-pressiongirl disse...

A porno lésbica está prestes a ser reinventada. A emissão segue dentro de momentos. ;-)