quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Fac(h)adas - por Tattts

Há conversas produtivas que resultam sempre em mais conversas produtivas. É por isso que agente nunca mais se cala e Tattts mostra que além de desenhista tem outros dotes.
Todo o texto que se segue é da sua responsabilidade.

No outro dia em conversa com a x-pressiongirl acerca dos vários tipos de lésbicas, começámos a divagar se não faltariam alguns outros estereótipos por expor, como o caso da lésbica parola que se diverte em por fotos que não são suas em sites de encontros, ou então aquelas lésbicas autenticas machonas (e não só) que aparecem com amigas do nada, que ninguém conhece e insistem em não assumir a sua homossexualidade até aos próprios amigos, pensando que enganam todos com a nova “amiguinha”, e foi neste deambular de conversa que surge outro tipo de lésbica, a lésbica heterossexual, aquela que cria um casamento de fachada, e por sugestão da x-pressiongirl, aceitei escrever um post acerca disso, até porque tenho conhecimentos de varias situações assim e vejo o transtorno que isso causa a curto e a longo prazo.
Na minha opinião, pessoas homossexuais que mantêm casamentos heterossexuais deviam ser todas levadas a uma salinha escura e serem esbofeteadas até acordarem para a realidade. Se estivéssemos a falar de há cinquenta anos atrás ou até mesmo há trinta anos, faria um esforço para tentar compreender e até mesmo tentar aceitar o porquê de uma pessoa que gosta de mulheres casar-se com um homem, pois back in the day a sociedade impunha-nos ainda muita mais pressão do que nos dias de hoje. Mesmo a vários níveis, a mulher casava no início da casa dos vinte e impensável um homem com um quarto de século não estar a trabalhar para sustentar uma casa com filhos; muito menos aceitável então era uma mulher pegar nas coisinhas e ir viver feliz com outra mulher sem perder a honra e ser rejeitada tanto pela sociedade como pela sua família, então para se evitar o sofrimento de tanta gente, havia malta que preferia sacrificar a própria felicidade… mas isto há 50 anos atrás, minha gente!!!
A pressão ainda hoje existe, mas não se pode comparar, e cada um tem que se impor por aquilo em que acredita, e pessoas homossexuais que insistem em viver dormentes para não fazer os outros desconfortáveis é do mais hipócrita, egoísta e horrível que alguém pode fazer. Valerá mesmo a pena sacrificar a nossa felicidade e a nossa sexualidade só para não magoar o papá ou a mamã que imaginaram a menina vestida de branco pronta a ser entregue a um homem que a mereça? Os pais projectam sempre nos filhos coisas que de eles se possam orgulhar; vai ser médica, ou advogada! Vai casar-se e encher-me a casa de netos! Então e se quiser ser artista? Se quiser enveredar por uma vida que não aquela que os pais ou mesmo a sociedade pensou para ela? Em nada difere o facto de se ser gay, não vai encher a casinha da avó com crianças, mas não é por isso que não possa deixar de ser uma pessoa excelente. Vale mesmo a pena
viver uma vida dupla, em que o dia-a-dia é feito de mentiras? Esse tipo de pessoas nem tem a noção no mal que estão a fazer à sua cara-metade, que sem saber vive na ilusão dum casamento normal. Mas acho que já é um ponto bem assente que, tudo o se faz mais cedo ou mais tarde vem-se a saber, e sim, a cara metade vai com certeza descobrir! E aí minhas caras podem sentir-se orgulhosas por arrasarem com outro ser humano!
Acham que isto justifica a capa que alguns ainda hoje insistem em pôr? Não tiveram a coragem para serem livres e tomar “o touro pelos cornos”, então preferem sacrificar outra pessoa para manter a fachada que os liberta dos problemas, um verdadeiro escudo humano!!! Daí eu sentir até uma certa repulsa por pessoas que preferiram enveredar por esse “way of life”. Já para não falar na vida sexual! Como é que uma mulher que quer é outras mulheres, quer a sensualidade e o toque de outra mulher, consegue ser penetrada por um homem?! Como é que uma mulher que gosta dos contornos dum corpo feminino se sujeita à rudeza dum corpo masculino?
Um exemplo que me chocou recentemente:
No outro dia em conversa com um amigo, soube que o X namorava há uma serie de anos com o Y, casado e com dois filhos (UAU), e para melhorar a coisa X até conhece a esposa do Y!!! Há coisas fantásticas não há? A esposa acredita que os dois são bons amigos, ela até gosta do X e ele frequenta a casa e conhece os putos… Digam-me como é que ela se sentirá quando descobrir que o amigo X afinal até anda a comer no mesmo sítio que ela (se é que ainda coma alguma coisa de jeito) e que até trata o seu marido por namorado há não sei quantos anos? Digam-me como é que essa mulher se vai sentir com ela própria e com a vida? Uma mentira! Viveu uma ilusão, uma farsa! Tudo em prol duma fachada para poupar gente? Tudo em prol de gente sem colhões, sem capacidade para enfrentarem o mundo para serem felizes?! Já para não falar do X, esse então devia ser morto a tiro por ser tão fraco de personalidade e com tão pouca ética para se deixar enrolar com um homem casado e pai de filhos, como se não houvesse por ai gays suficientes dispostos a abrir a pernoca. Alem do mais, nunca chega a ter uma relação decente… pois a noite não lhes pertence, a constante presença/ausência, como tantas outras coisas que fazem parte e são necessárias ao desenvolvimento saudável numa relação.
Por isso minhas caras sejam íntegras a vocês mesmas; tenham o arcaboiço para serem felizes! Não magoem deliberadamente o próximo, pois não há nada pior que males do coração e vidas de faz de conta.
Para aquel@s que quiserem ver um outro ponto de vista, também interessante, sobre este tema, fica aqui o link.

Um bem-haja,
Cheers!

7 comentários:

Anónimo disse...

Muita agressividade, muita raiva, neste texto, os pontos expostos nao deixam de ser verdade pessoas q enganao outras e assim mesmas nao podem ser d todo felizes, mas matar las a tiro? meter nojo? A senhora para falar assim dos outros deve ter uma vida completamente aberta e feliz, ñ ? mas tanta raiva nao parece.Se voce pensa isso tudo o q nao pensara entao um hetero?
sandra

Tattts disse...

Nao acha que uma pessoa que se serve d outra como escudo humano nao merece um tiro? Olhe que eu acho. Assim como todas as mentes captas que infligem crueldade prepositamente ao mundo que as rodeia tb merecem! Parece radical mas nao é!

Não vejo kk relação entre este texto e o facto da minha vida ser aberta ou nao. É tudo uma questao de morais e ética. Quando estamos todos de acordo optimo, mas neste caso há um terceiro que ta a ser usado e manipulado e isso é triste.

ps: não é sra, é sr.
ps2: ja pensou que isto até pode ser a opiniao de um hetero? ;)

cyberfemea disse...

concordo absolutamente com o k o tattts diz!

A questão aki não é a opção sexual de quem escreve o texto, mas sim algo que vai contra todos os principios de qualquer pessoa, penso eu, assentar a sua vida e submeter a vida de outrem a uma mentira.

Se um filho da puta me fizesse isso castrava-o na hora!

rosa que fuma disse...

oi, tatts. Isto é um tema recorrente, pôr na balança a "porrada" da discriminação, e a coragem de assumir. Mas cuidado com o preto e branco.

Uma lesbica que gosta do corpo dos homens tem um nome: bissexual.
Uma pessoa que procura organizar mais que uma relação tem nome: poliamorosa (ou, quiçá, polígama-não-patriarcal)

conheço um tipo de lesbica (e de gay) curioso: secretamente é bissexual, então é absolutamente heterófoba em situações sociais. Como se lhes doesse expôrem-se na sua comunidade.

Anónimo disse...

Oh meu deus! tanta intolerancia. se alguem lhe fizer isso, dava lhe um tiro? porra! Eu penso isso dos pedofilos, esses sim dava um tiro. Agora vao matar a todas as pessoas q enganao a suas parceiras o parceiros, seja la a etiqueta sexual q quieram por e demais, e ate hitleriano. Segun estes pontos d vistas, a bissexualidad deveria ser abolida, e preto e branco e mais nada.
sandra

x-pressiongirl disse...

Se merece um tiro ou não cabe ao gatilho decidir, mas merece castigo quem é desonesto com os outros, quem "usa o outro como escudo humano", como diz Tattts. E não me refiro só aos gays que se fazem passar por heteros com casamentos de fachada, mas a todos aqueles que apregoam publicamente fidelidade e honestidade e pela calada fazem o oposto. Aceito TUDO desde que mo assumam claramente.
E a sandra tem toda a razão:
Se fossemos dar tiros a todas as pessoas que enganam as outras, quantas pessoas habitariam a terra? ;-)

Anónimo disse...

ficavamos com muito poucas, e uma coisa me tem ensinado a vida, nao a tirar pedras a os outros, pk a vida nos pode mudar, e mesmo q seja por um instante fassemos e cometemos tds os mesmos erros. Podemos defender nosso ponto de vista mesmo q este seja radical e pouco vulgar, mas pra o fazer nao e precisso rebaixar ninguem, e é vdd q ninguem gosta d ser enganado,mas se tal a acontecer como dize o povo, bola pa frente.
sandra