terça-feira, 14 de outubro de 2008

Cartas de amor

Quando foi a última vez que receberam uma carta de alguém especial? Esqueçamos os sms e os e-mails.
Refiro-me mesmo às cartas. Daquelas que as nossas avós têm escondidas em algum armário antigo. Daquelas que os vossos pais trocaram. Quando é que a receberam? Quando é que enviaram a vossa última carta de amor?
Aplaudo de pé quem me disser que continua a enviá-las!
O perfume das cartas, a marca de baton, as letras vivas contêm uma beleza que é difícil encontrar num e-mail.

Gostaria de partilhar o conteúdo de uma carta que data de Julho de 1938. Ela encontra-se nos Estados Unidos e escreve para França, endereçando ao seu querido namorado/amante/confidente/amigo/quase marido as seguintes palavras:

Querido pequeno ser,

Aconteceu-me uma coisa extremamente agradável. É que eu dormi com o pequeno Bauste há 3 dias. Passámos dias idílicos e noites apaixonantes. Isto foi-me demasiado precioso e forte, mas leviano, também, e isso encaixa bem com a minha vida.
Adeus querido pequeno ser.
Tenho vontade de passar longas semanas a sós contigo.
Um abraço forte,

Tua ________

O desafio que vos proponho é tentar descobrir quem é o famoso destinatário e a famosa rementente.

Vou dar-vos pistas:

1. Dormem juntos em Montparnasse;
2. Compartilharam os seus pensamentos sem escrever a mesma obra;
3. Compartilharam as suas vidas sem que vivessem juntos na mesma casa;
4. Amaram outros sem que deixassem de se amar um ao outro.

Condessa X

5 comentários:

antidote disse...

Simone de Beauvoir e o seu belo e estrábico Joao-Paulo?

(ok, nao vale, a minha vida é falar e escrever sobre nao monogamia e poliamor)

rosa que fuma disse...

até tenho pena de quem nunca disse com a boca
"conheço-me assim"

Poppie disse...

Cartas, cartas não costumo escrever… mas tenho por hábito deixar bilhetes, alguns deles bem longos, em locais que só mais tarde o destinatário os encontrará.
Também aposto em Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre.

Anónimo disse...

Foi de certeza absoluta Simone de Beauvoir!

Condessa X disse...

Belíssimas!
Está certíssimo. Já vi que tenho de colocar desafios mais ousados, mas acreditem que muita gente não chega lá. Até mesmo algumas feministas que se "esquecem" que Beauvoir era, de facto, poliamorosa/poliapaixonada/poliwhathever. Com mais calma virei reflectir aqui sobre o poquê da aversão a estas palavras e da minha própria aversão ao termo "poliamor".
poppie, bilhetes também é bom, mas as cartas têm qualquer coisa que falta aos bilhetes. Engano-me? ;-)