sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O não-caso Maitê ou como os portugueses nos envergonham


Faz lembrar, ressalvando todas as diferenças óbvias, o caso sobre o artista Dinamarquês que foi enxovalhado pela comunidade muçulmana após ter publicado uma caricatura de Maomé.
Ainda não percebi muito bem como é que este "não-caso" apareceu como notícia num canal de televisão que, a meu ver, nada mais fez do que reavivar pequenos odiozinhos adormecidos por parte, sobretudo, de quem é complexado com o seu Portugal. A forma como a notícia foi dada, foi precisamente para suscitar esta onda de indignação. Que credibilidade merece uma estação de televisão que vai desencantar um vídeo caseiro feito, haverá uns 3 anos, com o propósito de fomentar o ódio entre os dois povos?
A actriz, tal como nós, tem direito à sua liberdade de expressão. Fez um vídeo caseiro como nós fazemos, a brincar com factos que decorreram durante a sua viagem.
Quanto à sua suposta ignorânia, pergunto quantos portugueses sabem, ao certo, quantos anos esteve Salazar no poder.
Brincar com os portugueses todos nós fazemos e por vezes até de forma mais cravada. Gato Fedorento, Herman José (que surpreendentemente aparece agora como ofendido), ou o pessoal do "Vai tudo abaixo" são exemplos de verdadeiros humoristas que brincam com os portugueses.
Vale a pena relembrar que a própria actriz brincou com os Gato Fedorento satirizando as próprias novelas brasileiras. Há algum brasileiro que se ofenda com isto?



As mesmas piadas que os brasileiros fazem dos portugueses fazemos nós de alentejanos ou nortenhos. E não há quem faça o mesmo tipo de piadas aplicando-as a pretos a loiras?
Por fim, não foi a actriz que me envergonhou, mas sim a imensa quantidade de comentadores portugueses que, fosse com vídeos, fosse com respostas escritas desceram ao nível da indecência, criticando brasileiros (sobretudo, brasileiras), difamando a actriz e o povo brasileiro, julgando-se donos da língua portuguesa, realçando o glorioso Portugal que os brasileiros deviam respeitar, esquecendo-se propositadamente ou desconhecendo a parte da história que revela que nós matámos brasileiros para que os forçassemos a falar a "nossa" língua. É deses portugueses que me envergonho.

Tomem lá esta preciosidade. Hitler comenta o caso. Riam-se mas é disto e semeiem a paz entre os povos!



Condessa X

5 comentários:

James Love disse...

Querida condessa, assino por baixo de tudo o que disse.
O caso Maitê têm sido um terror de ignorância e obtusidade por parte do nacionalismo cego e demente que reina em Portugal.
Beijos

Anónimo disse...

Sim, a ignorância leva a muitos despropósitos. Partindo deste ponto e neste caso, cabe-me dizer que o video não foi feito para mais tarde recordar, não se tratava de um video caseiro. Foi feito para ser exibido num programa brasileiro - Saia Justa.

Eu achei ridículo o video, apenas porque a comédia não é notoriamente o forte da actriz. Como pessoa que não vê telenovelas e a quem nunca calhou ver peças de teatro com a actriz, não me senti ofendida. Caso contrário, ter-me-ia sentido profundamente insultada, não pela sátira dos portugueses, mas pela pretensão de fazer dinheiro a todo o custo.
Ainda que se trate de uma actriz, o carácter releva e fazer dinheiro elogiando os portugueses e dizendo maravilhas para vender o produto que cá vinha comercializar e depois fazer dinheiro dizendo o contrário, só porque pode, é algo insultuoso.

Será digno de notícia de telejornal e tanta atenção (pelos motivos errados) - isso também não me parece.

Lilith disse...

é bom saber o que pensa a senhora de nós, os portugueses, no entanto, transpôr as suas palavras para todo um povo que, diz muito bem, foi chacinado para falar a nossa língua (entre outros motivos)é uma estupidez.

Condessa X disse...

Pois bem, james Love, muito me apraz saber que não sou a única a pensar deste modo.
Para os ofendidinhos do costume, informo que conheço muitos portugueses que fazem o mesmo tipo de piadas sobre portugueses também. Eu própria teria feito a piada se me tivesse deparado com aquele 3 invertido.

SaraChuva disse...

Até que enfim que encontrei escrito a bom português tudo o que sempre pensei deste não-caso.

E subscrevo em especial o parágrafo:
"Por fim, não foi a actriz que me envergonhou, mas sim a imensa quantidade de comentadores portugueses que, fosse com vídeos, fosse com respostas escritas desceram ao nível da indecência"

è verdade, infelizmente neste história foi o português que ficou mal, embora a maioria das pessoas não atinja isso!

5 estrelas o post